domingo. 05.02.2023
Foram vendidas 13 mil toneladas de fumeiro na edição 2023 da Feira Gastronómica do Porco. | FOTO: Cátia Portela.
Foram vendidas 13 mil toneladas de fumeiro na edição 2023 da Feira Gastronómica do Porco. | FOTO: Cátia Portela.

O presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, fez hoje um “balanço muito positivo” da XXV Feira Gastronómica do Porco, que decorreu no Pavilhão Multiusos, entre os dias 12 e 15 de janeiro. 

Após dois anos de interregno da feira presencial devido à pandemia, o autarca de Boticas admitiu, em declarações ao Diário de Chaves, que havia algum receio de que alguns produtores não conseguissem produzir em quantidade suficiente para fazer face à grande procura que o certame habitualmente tem.

Tal situação não se veio a verificar, e tanto visitantes, como produtores e organização saíram satisfeitos da Feira Gastronómica do Porco que este ano celebrou 25 anos.

O certame superou as nossas expectativas, os produtores venderam tudo. Estamos muito satisfeitos porque organizamos estes eventos com o objetivo de promover o concelho, os produtos de altíssima qualidade e ainda para dar alguma rentabilidade aos nossos produtores”, referiu Fernando Queiroga.

Essa foi aliás uma das questões que levou durante a pandemia à criação da plataforma online BoticasTem, para que as pessoas em qualquer parte do mundo pudessem adquirir os produtos de excelência do concelho, um site que continua ativo ao longo do ano e em simultâneo com a feira gastronómica.

 

Produtos com ligeiro aumento de preços 

A restauração foi também outro setor que não teve mãos a medir por estes dias no concelho botiquense.

Sinto-me satisfeito com a organização deste evento porque de facto foi mesmo um sucesso”, sublinhou o presidente da autarquia.

Ao logo da mostra gastronómica foram vendidas mais de 13 toneladas de fumeiro e enchidos e pelo recinto passaram mais de 50 mil visitantes.

Por causa do aumento generalizado do custo de vida, houve necessidade de alterar os preços tabelados do fumeiro, um tema discutido com os produtores que chegaram a acordo de que os mesmos deveriam ser aumentados.

Houve um ligeiro aumento dos produtos para fazer face ao aumento de algumas despesas, como é caso das rações, por exemplo. Claro que temos sempre o cuidado para que não se torne insustentável o preço dos produtos”, notou o responsável botiquense.

A qualidade dos produtos é, para o presidente da Câmara de Boticas, um dos “pontos fulcrais” para o sucesso da iniciativa. Para garantir essa qualidade, o serviço médico-veterinário municipal é responsável por acompanhar todo o processo de crescimento dos animais e da própria alimentação. Todos os produtos que dão entrada no recinto da feira são ainda analisados de forma criteriosa pela mesma equipa para que possam ser vendidos ao público.

Sobre este tema, Fernando Queiroga revela que tem havido uma grande evolução:Nas primeiras feiras eram rejeitados muitos produtos porque não havia a formação necessária. Portanto, apostamos na formação, no acompanhamento dos produtores para que façam os produtos com garantia de qualidade. Esse é um trabalho que não se vê, mas muito importante e do qual não abdicamos. Desta forma, garantimos que os produtos vendidos têm o selo de garantia em termos da sanidade animal”.

 

Novo Plano Ferroviário deve incluir o território

A secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Isabel Ferreira, marcou presença na quinta-feira na inauguração oficial da XXV Feira Gastronómica do Porco em Boticas. O dirigente do concelho aproveitou a ocasião para falar sobre as condições das acessibilidades ao território.

Fernando Queiroga considera fundamental que o concelho de Boticas tenha uma ligação direta à A24 e repudia que o novo Plano Ferroviário para o país não inclua o território do Alto Tâmega e Barroso, um descontentamento que já foi manifestado junto da tutela pelos seis presidentes dos municípios que constituem a região. Com a linha ferroviária na região, este responsável acredita que irá permitir “escoar produtos e atrair mais visitantes ao território”.

A ferrovia é muito importante para ‘desencravar’ este território. Nós já tivemos ferrovia e foi-nos desmantelada. Se a linha ferroviária vem até Braga por que é que não continua nesta faixa mais Norte fazendo a ligação ao território. Estamos, desde Chaves, a 30 quilómetros de uma estação de TGV, ou seja, a 30 minutos da ligação à Europa”, lembrou.

Por isso, para o presidente botiquense ficar fora do Plano Ferroviário não é uma opção, mas sim “um direito que assiste a esta região”.

Dia 20 deste mês, o presidente da Câmara de Boticas vai estar presente na reunião do Conselho Regional, que acontece em Mogadouro, onde o tema irá ser discutido.

Já sobre a cobertura da rede de telecomunicações, Fernando Queiroga revelou estar “com boas expectativas” uma vez que o Pacto 2030 vai permitir incluir todo o território na quinta geração da rede móvel (5G).

NOTÍCIAS BOTICAS | XXV Feira Gastronómica do Porco com "balanço muito positivo"
Comentários