quarta-feira. 28.09.2022

NOTÍCIAS CHAVES | Cozinha da Residência ORPEA Flavicórdia premiada entre mais de 60 centros espanhóis e portugueses

Com esta iniciativa, pioneira no sector, a ORPEA procura mais uma vez realçar a importância do profissionalismo e dos seus centros em Espanha e Portugal possuírem a sua própria e excelente cozinha

O júri independente e especializado incluiu Jesús Sánchez, um Chef de 3 estrelas Michelin, e Nieves García, um residente de 77 anos de um centro ORPEA.

A residência Flavicórdia em Chaves foi premiada na sexta edição do Torneio de Cozinha ORPEA, uma iniciativa pioneira no sector dos centros para seniores, que visa promover a cozinha e a restauração das suas residências em Portugal e Espanha.

A residência Flavicórdia recebeu um prémio neste concurso no qual concorreram mais de sessenta centros de ambos os países, sendo o seu prato escolhido como o melhor de Espanha e Portugal, juntamente com o da residência espanhola ORPEA Andújar. Os centros portugueses conseguem sempre chegar à final e este ano a residência de Chaves alcançou a sua melhor posição.
 

Os membros do júri incluíam um Chef com 3 estrelas Michelin, Jesús Sánchez, e um residente de um dos centros ORPEA, Nieves García, de 77 anos de idade, e os pratos são avaliados sem se conhecer a residência de origem.
 
O júri premiou o prato da Residência ORPEA em Chaves, Choco corado e crocante com cuscus negro, gel de lima e coentros, pelo seu sabor, originalidade e a transformação do prato em 'textura', uma técnica culinária para facilitar a deglutição. O júri também valorizou a aplicação de técnicas culinárias, a ordem na preparação da receita e a utilização do produto, ou seja, a consciência sustentável.
 

Jesús Sánchez, Chef com 3 Estrelas Michelin, salientou a importância de iniciativas como o torneio e da cozinha própria em residências como a ORPEA: "A comida é uma parte fundamental das nossas vidas, da nossa saúde e prazer, e é um dos prazeres que devemos preservar na velhice. É muito positivo que tantos cuidados e pormenores sejam dedicados aos pratos servidos aos seniores na sua vida quotidiana. E que por detrás de cada prato, há um Chef profissional a colocar todo o seu conhecimento e amor".

Jesús Sánchez, Chef de 3 estrelas Michelin, fez parte do júri

O famoso Chef de cozinha, proprietário do restaurante premiado Cenador de Amós, elogiou o princípio do torneio, tendo o Chef de cozinha do centro atuado nesta ocasião como Chef e o diretor como seu assistente de cozinha: "É a representação mais visível que o chefe da residência, o diretor, está empenhado e consciente da importância da cozinha".
 
A residente de 77 anos de idade, Nieves García, fez parte do famoso júri nesta ocasião e declarou-se muito satisfeita com a competição: "O torneio é uma iniciativa muito interessante. Foi lindo e muito disputado. Havia alguns pratos muito bons, tanto em termos de preparação como de sabor. Além disso, partilhar o júri com tais profissionais tem sido um prazer".
 

Nieves salientou também a importância das residências terem a sua própria cozinha: "É essencial. Quando os cozinheiros trabalham no centro, ficam a conhecer os residentes, as suas necessidades e os seus gostos".
 
As pessoas mais velhas precisam de usufruir de uma dieta adequada que também satisfaça as suas necessidades nutricionais. Por esta razão, todos os centros ORPEA preparam menus adaptados às necessidades dos residentes, concebidos por um nutricionista e revistos pela equipa médica.

Os pratos são apresentados em ciclos de cinco semanas em que o menu não é repetido e que têm em conta a estação do ano. Consistem sempre em duas escolhas de primeiro e segundo prato, com variantes para residentes específicos (por exemplo, diabéticos). Além disso, os membros da família podem desfrutar dos mesmos pratos juntamente com os residentes na sala de jantar dos convidados.


 
Sabor, saúde e inovação: a questão das texturas

Este ano, os concorrentes tiveram de criar a melhor receita utilizando chocos ou chocos na sua tinta como ingredientes. Um prato e uma textura foram apresentados por equipa. As texturas são uma das grandes inovações da ORPEA em resposta aos casos em que os seniores não conseguem comer corretamente (devido a problemas de mastigação e deglutição, falta de apetite, relutância).

Nestes casos, os centros ORPEA preparam os mesmos pratos de forma texturizada para os residentes que deles necessitam, a fim de os tornar mais fáceis de comer. O objetivo é também oferecer uma apresentação que os torne atraentes e que, através das suas cores e formas, faça lembrar o prato base: seja peixe, legumes, frango ou uma sobremesa.
 

A receita apresentada pela equipa da residência ORPEA Flavicórdia foi inspirada na gastronomia tradicional portuguesa. A equipa vencedora, formada por Fernanda Fernandes e Susana Alves, cozinheira e diretora, respetivamente, também expressaram a sua satisfação com este prémio.

"Estamos muito orgulhosos de receber este prémio. Estamos satisfeitos com o trabalho de equipa que temos feito, e obter este reconhecimento tem sido fantástico. Cozinhar para um júri tão exigente, estar consciente da textura, da apresentação, do tempo, etc. Além disso, a participação na final do torneio é uma experiência e tanto", explicou Susana Alves.
 
Com esta iniciativa pioneira no sector e um júri especializado e independente, a ORPEA procurou realçar a importância do profissionalismo e de possuírem cozinha própria nas suas residências.

A receita apresentada pela equipa da residência ORPEA Flavicórdia foi inspirada na gastronomia tradicional portuguesa

 

SOBRE O GRUPO ORPEA (ORPEA.PT/): 
Fundado em 1989, o grupo ORPEA é um dos dois principais líderes mundiais no cuidado de seniores e/ou dependentes, com uma rede de 1.114 centros, com 111.801 camas e mais de 68.500 colaboradores em 23 países como Portugal, França, Espanha, Holanda, Irlanda, Bélgica, Luxemburgo, Alemanha, Suíça, Itália, Polónia, República Checa, Áustria, Eslovénia, Croácia, Letónia, Rússia, México, Colômbia, Brasil, Chile, Uruguai e China. O grupo possui em Portugal 10 residências, 1 hospital e 1 clínica de reabilitação, distribuídos por todo o território nacional, com um total de 907 camas. Implementaram a primeira UPAD – Unidade Protegida para Alzheimer e outras Demências em Portugal, na Residência ORPEA Viseu, um serviço adaptado às necessidades individuais dos doentes, com uma equipa de profissionais especializada no acompanhamento de pessoas com essas patologias. A Residência Flavicórdia, em Chaves, integra o Centro de Reabilitação Giesta (C.R.G.) nas suas instalações, especializado na recuperação de problemas neurológicos, cardiorrespiratórios e músculo-esqueléticos.

NOTÍCIAS CHAVES | Cozinha da Residência ORPEA Flavicórdia premiada entre mais de 60...
Comentários