segunda-feira. 05.12.2022
Comissão Política considera que o novo executivo municipal, liderado por Fátima Fernandes, "não está preparado"

NOTÍCIAS MONTALEGRE | PSD de Montalegre quer eleições intercalares

32394_433276740075674_1225119475_n
32394_433276740075674_1225119475_n

A Comissão Política do PSD de Montalegre defendeu ontem a realização de eleições intercalares pois considera que o novo executivo “não está preparado e não tem a força necessária”.

O Tribunal de Instrução Criminal do Porto decretou na segunda-feira prisão preventiva para o presidente da Câmara de Montalegre, Orlando Alves, no âmbito das investigações da operação “Alquimia”.

O vice-presidente e o chefe de gabinete da Divisão de Obras Públicas, que está também implicado no processo, saíram em liberdade. David Teixeira ficou obrigado ao pagamento de uma caução de 100 mil euros, fica suspenso de funções públicas e não poderá ainda permanecer sem autorização no concelho de Montalegre.

Em comunicado, o Partido Social Democrata (PSD) de Montalegre lamenta que “o bom nome de Montalegre e das suas gentes esteja a ser prejudicado”, mas adianta não estar surpreendido com os últimos acontecimentos.

Sobre o novo executivo municipal, liderado pela vereadora Fátima Fernandes, o PSD considera que a solução encontrada não é a melhor porque no seu entender “o novo executivo não está preparado e não tem a força necessária para enfrentar o futuro”.

A professora Fátima Fernandes é vereadora com pelouro há 17 anos e esteve sempre alinhada com os autarcas que renunciaram; se não se apercebeu dos factos que levaram às detenções e às medidas de coação decretadas pelo Tribunal, isso é grave; se sabia e não disse nada, é igualmente muito grave; em qualquer dos casos, não tem condições para ser presidente de câmara”, sublinha.

O PSD de Montalegre entende assim que o novo executivo municipal deve ser validado pelos eleitores através de eleições intercalares e desafiam o Partido Socialista (PS) “a não ter medo de se submeter ao escrutínio dos barrosões”.

O município precisa de reformas profundas, nomeadamente no Departamento de Obras Públicas, é necessário virar a página, afastar a nuvem de suspeição e iniciar o processo de credibilização da câmara”, refere o PSD de Montalegre, lembrando que é preciso também preparar o “próximo Quadro Comunitário de Apoio e lançar novas políticas de desenvolvimento do concelho”, lê-se ainda no comunicado.

NOTÍCIAS MONTALEGRE | PSD de Montalegre quer eleições intercalares
Comentários